4.30.2011

Como escolher a cidade?

Olá, pessoal!

Sou mais uma das novas colaboradoras do blog, então deixa eu me apresentar rapidamente: meu nome é Jéssica, tenho 26 anos e serei Au Pair em Mason, OH a partir de Julho. Para saber mais sobre mim, você pode conhecer meu blog (que também está ao lado), twitter, e-mail e poderá me encontrar no próprio Grupo Au Pair no facebook. Estarei sempre à disposição!
Bom, eu tinha outras idéias para inaugurar meu post. Mas hoje, acho relevante postar sobre algo que já falei (mas só dessa vez, ok?) e que poderá fazer com que outras Au Pairs pensem melhor antes de considerar apenas o lugar para morar, em vez da família.

O que eu havia falado é que eu tenho visto inúmeras Au Pairs lá no Grupo preocupadas apenas com a cidade que irá morar. Óbvio que isso também conta, mas o que eu quero dizer é que nem sempre isso é suficiente e mais importante - ou que pelo menos no meu caso, não foi.
Eu só me tornei uma Au Pair com a intenção de morar no Sul da Flórida, o que inclui Ft. Lauderdale, Boca Raton, West Palm, Boyton Beach e até mesmo Miami (talvez eu e meio mundo). É óbvio que eu sempre soube da condição de escolher lugares assim sendo uma Au Pair, e que eu já vinha procurando algum tipo de intercâmbio que fosse barato e que eu conseguisse me adaptar de acordo com as necessidades exigidas; como tenho uma vasta experiência com crianças, foi o tiro certo. Mas eu tinha razões fortes pra isso: tenho amigos próximos (brasileiros e não) que moram nessas áreas. Os planos já estavam feitos!

Logo na minha primeira semana online, uma família de Falls City, WA me adicionou. Falls City é um subúrbio de 700 pessoas, localizada há 15min de Seattle. Entrei em pânico, morar um beco de 700 pessoas ninguém quer, né? Quase desisti do programa sem mal começar. Enfim, de cara dispensei...
Com o passar das semanas, várias famílias me adicionaram. Teve família de UT, NY, DC, CA, MA e nenhuma me APETECEU, nem todas por causa dos lugares (embora eu ainda estivesse enlouquecida com a possibilidade de ir pra FL). Eis que conheci a minha família, que vive em OH.

OHIO?
Pois é! É exatamente dessa forma que as pessoas se expressam – incluindo eu, sem ao menos saber como é lugar e o que ele tem a oferecer. Eu estava prestes a dizer mais um não da minha longa lista, quando ouvi de várias pessoas “dá uma chance, nem que seja pra saber como agir”. Enfim, respondi.
Eu sou bem cética quando o assunto é sorte, azar ou destino. Pra mim, o negócio é feeling. Talvez por isso, involuntariamente me tornei Publicitária.
O que eu quero dizer é que de cara, eu me encantei com a minha Host Family.Mas numa escala de 0 à 100%, eu diria que 10% disso foi pelos privilégios e idade das kids. O que me encantou foi a forma como ela me tratou logo no primeiro email – ela é o espelho da minha família no Brasil e isso eu senti logo de cara. Parto do princípio que gentileza gera bem-estar, e era dessa forma que eu estava me sentindo naquele momento.
A partir do momento que eu me senti segura com eles – mesmo sem saber se eu queria aquele lugar, pedi pra hosta informações sobre o lugar, faculdades, pontos turísticos, como eu poderia viajar de carro, trem, ônibus e avião, absolutamente TUDO. Não sei dizer se foi um caso à parte, mas ela me escreveu um email GIGANTE, com sites/vídeos sobre o lugar, e-mails de Au Pairs da região, incluindo Brasileiras.
A questão é que o lugar que irei morar tem TUDO o que eu preciso. Shopping, parques de diversões, cinemas, museus, parques aquáticos, escolas, bons restaurantes e várias Au Pairs. Mason é subúrbio de Cincinatti, tem 35.000 habitantes e fica há 20min do centro de Cincinnati, que tem 315 mil. Ou seja, tenho acesso fácil à uma grande universidade ou shows.
É muito distinto e superficial o conceito de “tudo que eu preciso” de uma pessoa pra outra. Mas pra mim, tudo o que eu preciso além do que já foi citado acima, é um lugar diferente de onde eu moro, cultura, crianças com idades adequadas, bem-estar e felicidade. E a minha HF proporciona tudo isso.
Então o que eu tenho pra dizer pra todas(os) que ainda colocam a localização em primeiro lugar é: “dá uma chance, nem que seja pra saber como agir”. Lugar NENHUM paga teu bem-estar e o conforto de um ano longe da sua casa e do carinho das pessoas que tu mais ama nesse mundo.
Vejo vocês no próximo dia 30!
Beijos

3 Comments:

  1. Concordo plenamente!! O lugar é o de menos e todos estão cansados de saber que o importante é como você vai ser tratada!
    Eu não tenho nenhum estado de preferência mas SEMPRE me vem aquele pensamento... será que a cidade é legal? É intevitável!

    ReplyDelete
  2. Ahhhhhhh! E Parabéns pela estréia! ;D

    ReplyDelete
  3. Concordo!! Muito preconceito até quando se fala de cidades. Se vc fica escolhendo muito acaba sem nada, eo pior é que as familias percebem quando vc quer ir mais pela cidade, ex NY, do que por eles, e isso acaba fazendo eles acharem que vc é o tipo 'party girl' que está indo de ferias pra lá...Agor,a se o motivo pelo qual vc nao quer ir por questoes de seguranca, como tornados, essas coisas, dai sim eu concordo em recusar! :p

    Beijos, muito bom o post!!

    ReplyDelete

Leu, Gostou? Opa, Não gostou? Então comenta aqui o que acha!!!